Porque fazer terapia

(Scroll down for English version)

“Sigmund Freud disse certa vez que o homem nasceu neurótico. Istó é uma meia-verdade. O homem não nasceu neurótico, porém nasceu em uma humanidade neurótica, e a sociedade torna todos neuróticos, mais cedo ou mais tarde. O homem nasceu natural, real, normal. No momento em que o recém-nascido torna-se parte da sociedade a neurose começa seu trabalho.
Do jeito que somos, somos neuróticos. E a neurose consiste em um corte, um corte profundo. Você não é um só, você é dois ou até mesmo muitos. Isto tem que ser compreendido profundamente e só então poderemos avançar no que diz respeito ao Tantra.

Seu sentimento e seu pensamento tornaram-se duas coisas diferentes e esta é a neurose básica. Aquele seu lado que pensa e aquele lado que sente tornaram-se dois e você se identifica com a parte que pensa e não com a parte que sente. E sentir é mais real do que pensar; sentir é mais natural do que pensar.
Você nasce com um coração que sente, mas o pensamento é cultivado, ele lhe é dado pela sociedade. E seu sentimento tornou-se algo suprimido. Mesmo quando você diz que sente, você apenas que sente. O sentimento tornou-se morto e isto aconteceu devido a determinadas razões.

Quando uma criança nasce ela é um ser que sente; ela sente coisas, mas ela ainda não é um pensante. Ela é natural como tudo o que é natural, como uma árvore, um animal. Começamos, entretanto a moldá-la, a cultivá-la. Ela terá de suprimir seus sentimentos, pois se isto não acontecer, estará sempre com dificuldades. Quando quiser chorar, não poderá fazê-lo, pois seus pais a censurarão. Será condenada, não sera apreciada nem amada. Não será aceita como é. Deve comportar-se de acordo com uma determinada ideologia, determinadas idéias. Só então será amada. Do modo como ela é, o amor não se destina à ela. Só pode ser amada se seguir determinadas regras. Tais regras são impostas não são naturais. O ser natural dá lugar a um ser suprimido e aquilo que não é natural, o irreal, lhe é imposto.

Esse “irreal”é a sua mente e chega um momento em que a divisão é tão grande, que já não se pode mais ultrapassá-la. Você se esquece completamente do que sua natureza foi ou é. Você é um falso rosto; o semblante original perdeu-se.

E você também receia sentir o original, pois no momento em que sentir toda a sociedade se voltará contra você. Você, portanto, coloca-se contra a sua natureza real.
Isso cria uma situação muito neurótica. Você não sabe o que quer; ignora quais são suas necessidades reais. Quando elas são suprimidas, você passa a criar necessidades simbólicas. Por exemplo, você pode começar a comer cada vez mais enchendo-se de alimento, e nunca sentir que está satisfeito. Você tem necessidade de amor, não de comida. A comida e o amor, entretanto, estão profundamente relacionados. Quando a necessidade de amor não é sentida, ou é suprimida, uma falsa necessidade de comida é criada. Você pode continuar comendo; posto que a necessidade é falsa, ela jamais poderá ser preenchida. E vivemos entregues a falsas necessidades. Por isso não há realizações.”

Entender isso já é um primeiro passo. A Terapia Bioenergética pode te ajudar a conectar profundamente com esses sentimentos, permitindo expressá-los de diversas maneiras. Saiba como participar.

 

WHY THERAPY

Sigmund Freud Said once that man was born neurotic. This is half-true.  Man wasn’t born neurotic but into a neurotic mankind in which ‘society’, sooner or later, makes everyone neurotic. Man was born natural, real, normal. In the very moment a newborn baby becomes part of society, neurosis starts its work.

The way we are, we´re neurotic, and neurosis consists of deep divisions. You aren´t one anymore, you are two or even many. It has to be deeply understood since only then we can move towards wholeness. Your feelings and your thoughts became two different things and this is the basic neurosis. You became split in a part that thinks and a part that feels, and you end up getting identified with the part that thinks. Feeling is more real, more natural than thinking.

You were born with a heart that feels. Thoughts are cultivated, they are given to you by society while your feelings are suppressed. Even when you say you feel, you only think you feel. The feeling is dead and it happened for certain reasons.

When a child is born, it´s a being who feels. It feels things but it isn´t a being who thinks. It´s natural like everything that is natural, like a tree, like an animal. Then we start to mold, to frame it, to cultivate it. It will have to suppress its feelings otherwise it will be in trouble. When it wants to cry, it won´t be able to do it because its parents will censor it. It will be convicted, it won´t be appreciated, not even loved. It won´t be accepted the way it is. It must behave according to a certain ideology, to certain ideas.

Only then it will be loved. The way it is, love is not for it. It can only be loved if it follows certain unnatural, imposed rules. The natural being gives place to a suppressed being, and what is unnatural, unreal is imposed on it.

This “unreal” is your mind. It may come to a moment that the division is so big that it can´t be overtaken. You completely forget what once was or is your nature. You become a fake face, the original one has got lost.

And you get afraid of feeling the original since once it happens, the whole society will turn against you. Thus you stand against your real nature.

It creates a neurotic situation. You don´t know what you want and disregard your real needs. Suppressing them, you make up symbolic needs, for example: you start eating more and more without getting really fulfilled. Actually, you need love, not food. Food and love, indeed, are deeply related. When the need of love is not felt or is just suppressed and unreal need of food is created. You may go on eating but since this need is fake, it will never be over. We live surrendering to fake needs and that´s why we are not happy in life, never fulfilled or done.

Understanding this all is a first step you take. The Bioenergetics Therapy can help you to connect and express with these feelings in many ways.