Sexualidade, Emagracimento e Bioenergética

Tempo de leitura: 6 minutos

Por Adoshi

Há aproximadamente 1 ano eu pesava 105kg, alugava um quarto pequeno em uma pousada, dessas de filme de terror, onde eu passava o dia inteiro assistindo séries na Netflix e saía apenas para comer e reclamar sobre como a vida era injusta comigo.

Essa era minha rotina: comer, ver série, reclamar da vida… E não fazer nada para mudar.

Sempre fui muito bom em esconder meus problemas e não pedir ajuda para ninguém, quando eventualmente encontrava um amigo ou durante algum serviço, eu fingia que tudo estava bem, que estava acontecendo uma grande aventura na minha vida.

Há 3 meses havia chegado em Porto Alegre, vindo de São Paulo, e fingia que estava correndo atrás dos meus sonhos… Bom, só se for na cama mesmo porque, na maioria dos dias, ia dormir entre 3h e 5h da manhã e acordava depois das 10h.

Começando a enxergar o problema

Em setembro fui obrigado a me mudar, me sentia deprimido e sem vontade de fazer nada, a mudança veio pois apesar do buraco eu já não aguentava mais aquela pousada e também não aguentava mais minha vida naquele estado. Foi quando consegui alugar um quarto em um apartamento onde moravam 3 gurias que “coincidentemente” além de já fazerem terapia estavam em processo de formação para se tornarem terapeutas.

Lembro delas chegando em casa toda terça-feira à noite depois da meditação AUM, com tanta energia no corpo que era de dar inveja. Elas sempre me chamavam para ir no próximo e eu sempre inventava uma desculpa para não ir, elas sabiam que eram desculpas, da mesma forma que agora eu sei. Ok, mas a inveja mesmo vinha durante às noites, vou te explicar o motivo.

Meu quarto fica entre dois outros quartos, parede com parede, então eu consigo escutar os sons que vem dos outros dois quartos e o som que eu mais escutava durante às noites eram GEMIDOS!

Não consigo me lembrar qual era a frequência mas, na minha cabeça,  acho que elas transavam todas às noites, competindo para ver quem gemia mais alto e eu ali, no meu quarto sozinho, passando à noite ouvindo aquela sinfonia de prazeres sem entender como elas tinham tanto tesão, tanta energia, tantos encontros… E eu sozinho.

A Mudança

Aguentei 1 mês de tortura, até que fui convidado para uma sessão experimental de bioenergética e resolvi aceitar. E foi naquela sessão que pude perceber o quanto estava na merda.

Eu realmente não percebia, aquela sessão de 1h30 me proporcionou um breve momento de conexão com o meu corpo e um choque de 220v no peito e na consciência.

  • “ Até quando vou mentir para mim mesmo dizendo que minha vida está boa?
  • “Até quando vou fingir que estou satisfeito com meu peso, com meu corpo?
  • “Até quando vou ficar sem transar?”

Tinha 24 anos mas quando me olhava no espelho via um homem velho, abatido, sem energia, feio, sem brilho no olhar.

Aquela sessão mexeu tanto com o meu corpo e cabeça que decidi iniciar o processo de terapia na semana seguinte, minha vida precisava de uma mudança e meu corpo me disse que aquele era o caminho.

Logo comecei as sessões individuais, sessões em grupo e, toda terça-feira, meditação AUM. Resolvi lutar pela minha vida e retomar o brilho que me faltava.

Logo de início percebi o quanto estava desconectado do meu corpo, os exercícios eram difíceis, eu não conseguia respirar, sentia apenas dor. 24 anos e pesando aproximadamente 105 kg não conseguia correr 15min parado no mesmo lugar. Meu corpo não tinha força, era flácido e sentia meus ombros pesados, fechados contra o peito. Logo que falei com o meu terapeuta sobre a insatisfação com meu peso nós definimos uma meta e traçamos um plano para que a mudança pudesse acontecer.

Eu me comprometi a perder 0,5kg por semana até chegar aos 90kg. Logo na primeira semana perdi 1 kg e mantive essa a média semana após semana e entre -1kg ou -2kg, a meta logo se tornou 85 kg, depois 80 kg, hoje peso 77 kg.

A terapia me trouxe uma disposição que eu não sentia antes, depois que perdi meu primeiro kg comecei a me sentir mais animado. Ainda achava difícil os exercícios, mas comecei a ficar indignado comigo mesmo e com o ponto onde deixei minha vida chegar, mas agora tinha disposição e vontade de mudar, além do acompanhamento de um terapeuta, alguém com que eu podia conversar, que realmente me escutava e que demonstrava interesse em que eu tivesse mais na minha vida.

Há cada -1kg meu terapeuta vibrava comigo.

O que isso tudo tem a ver com a sexualidade?

A sexualidade foi um ponto que levou mais tempo para eu encarar, a terapia me ajudou a enxergar os motivos pelo quais eu me sentia travado, o primeiro era minha autoestima que quase não existia, mas logo os medos começaram a aparecer.

Medo de ser rejeitado, medo de não conseguir transar, medo de brochar, de ejaculação-precoce, medo do que poderiam pensar e falar sobre mim. Me sentia paralisado e foi a raiva que me fez dar um passo. Quanto maior era o meu tesão mais eu sentia raiva daquela situação.

Comecei então a quebrar com aquela inércia, percebendo que o medo continuava alí mas, com o apoio da terapia, ele já não era mais um monstro que me paralisava. Todas aquelas questões que passavam na minha cabeça se tornavam conteúdos a serem trabalhados em sessão e quando me abri para realmente ter experiências sexuais os encontros passaram a acontecer.

Ainda não acho simples ou fácil, nem sei se um dia vou achar, mas sei que depende apenas de mim ir além do que me congela, ir além da minha cabeça e seguir o que meu corpo está me dizendo.

Ao longo desses 10 meses de terapia já tive transas fantásticas, me senti conectado, vulnerável, preenchido com amor, alegria, raiva, me senti vivo. E também tive transas em que me senti mal, me senti frio, me senti desconectado, me senti vazio mas, todos esses encontros foram mais verdadeiros e intensos do que qualquer outro que tive desde a minha adolescência.

A bioenergética me proporcionou um caminho de reconexão com meu corpo, com meus sentimentos, com meus medos e meus desejos. É um caminho sem volta e, mesmo que houvesse volta, eu não aceitaria. Hoje me sinto vivo, me sinto ativo, me sinto desperto e presente para poder aproveitar cada dia da minha vida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *