Terapia Bioenergética

Tempo de leitura: 6 minutos

A bioenergética é uma terapia corporal. O corpo é a casa das emoções. Se tu não limpa a tua casa por uma semana, se não recolhe o lixo, não lava a louça? Como ela fica? Vai ficar difícil de tu transitar lá dentro, certo? Assim é com teu corpo. Tu precisa de uma faxina emocional pra tua energia fluir. Nele está guardado, registrado tudo aquilo que a gente viveu, reprimiu, abafou, na forma de tensões. Sabe aquela tensão básica nos ombros e no pescoço? Aquele ranger dos dentes, aquela dor lombar? São tuas emoções reprimidas ao longo da tua vida. Estão se acumulando, como uma bomba relógio, no teu corpo. Infelizmente não damos tanta importância pra ele, para os seus sinais. E vamos vivendo cada vez mais na cabeça.

Uma vez durante uma aula da faculdade ouvi um professor contando sobre um povo que dizia que a gravata servia para separar a cabeça do resto do corpo e dividir a sociedade entre aquele que “pensam” – os engravatados – e o resto – a mão de obra. Não é interessante à sociedade que haja alguém que pense e possa fazer com suas próprias mãos – nesse lugar mora o perigo da revolução do coração.

Então, não fomos incentivados a manter uma conexão com nossos corpos, ignorando as sensações e sentimentos que ele nos traz, se algo incomoda, anestesiamos com analgésicos ou outros remédios. Isso desde a infância. Na escola, normalmente os “burros” eram os que jogavam bem, a galera inteligente mesmo não gostava muito de esporte, de mexer o corpo. Isso é pra quem não tem o que fazer, não sabe de nada. Mas, ao menos na minha turma, aqueles que gostavam de jogar também eram os mais alegres, os mais espontâneos. Só que isso incomodava. Incomodava muito os professores eles não conseguirem ficar 4 horas com a bunda na cadeira. Mas que criança ou adolescente com seu corpo repleto de energia e vida consegue isso? Só aqueles que de alguma maneira já estão se desconectando dos seus corpos. A criança não para? Ih, deve ser déficit de atenção… Dá ritalina pra ela. Afinal, ela tem que sentar e estudar, se não quem ela vai ser nessa sociedade? Qual vai ser o futuro dela? Vai ter que acabar sendo empregada, mão de obra, sem usar gravata.

E quando bate aquela ansiedade? Não sei você, mas eu como. E como muito, até que eu pare de sentir as borboletas no estômago. Ou então quando o dia, e a vida, estão cinza, um docinho pra dar aquela falsa alegria. Mas o vazio continua. Só disfarçado.

Nas aulas que dou de acrobacia em tecido é impressionante a diferença entre as crianças e eles. As crianças brincam com os seus corpos, sobem, se jogam, erram e acertam e tá tudo bem. Já os adultos normalmente chegam com muito medo, tudo é um grande risco. Além disso, é muito comum que não consigam nem responder à comandos simples como subir o joelho, enrolar o pé. É como se cabeça e corpo não conversassem e também não há uma percepção do que o corpo está fazendo.

O corpo é deixado cada vez mais de lado. E, conseqüentemente, o coração. E aí vamos deixando de sentir. Sentir qualquer coisa. Perdemos a vontade de mudar o mundo, não acreditamos mais nem em mudar o nosso redor. Ao ponto de o corpo servir só para transportar a cabeça, intelecto, o grande bem da humanidade. Não se sente mais alegria, não se sente mais tesão, tampouco paixão. A raiva passa longe. A dor, então, nem sem fala. O corpo acomodado na rotina de casa/trabalho/trabalho/casa. E aí aquele futebolzinho que rola de vez em nunca é a grande alegria, aquela uma hora sagrada que salva a semana. E por que? Por que aí se entra em contato com o corpo, o resgate da energia. O que deveria ser tão natural acontece em uma única hora durante a semana.

Como resgatar teu corpo

E o resgate do corpo tampouco tem a ver com malhar alucinadamente e ter um super shape. Ou ser um atleta profissional. Pode-se ser tudo isso e ainda não sentir nada. Cria-se uma vitrine bonita para a mesma desconexão. O resgate do corpo tem a ver com voltar a sentir. E o começo é simples. Voltar a sentir o que teu corpo te diz, sentir teu peso sobre teus pés, sentir tuas pernas. Cabeça e corpo como uma unidade. Para isso é preciso mexer o corpo e dar vida a ele. Muita vida. Respirar muito. E existem várias formas de isso acontecer, o importante é deixar vir a naturalidade do corpo. Quando eu era criança amava subir em árvores e em certo momento só parei. Hoje, quando eu subo numa árvore, a sensação é incrível, é como se meu corpo inteiro ficasse feliz. Uma vez dando uma aula fiz uma proposta de dança, eram cinco músicas e cada uma tinha uma proposta diferente. No final do jogo, uma das meninas que tava participando veio me agradecer, ela tinha conseguido chorar durante o jogo e naquele momento se sentia muito mais leve, tinha tido um dia muito pesado e foi suportando tudo. Na verdade, tudo aquilo foi ficando guardado no corpo dela. E então, quando ela finalmente pode entrar em contato com o corpo, tudo pode vir pra fora.

A bioenergética é outra ferramenta que vai ajudar no resgate do teu corpo. Ela vai te ajudar a voltar a sentir alegria, aquela que vem de dentro, lá do fundo. Tu vai voltar a sentir tesão, vontade de transar. Tu vai sentir que teu corpo é a base pra tu realizar aquilo que tu quiser, que teu corpo é poderoso! E provavelmente vai doer, por que tu vai te dar conta de tudo que tu deixou de sentir no meio do caminho, de todos os momentos em que teu corpo só serviu como máquina. Mas esse resgate é essencial à vida. Aliás, é um resgate da tua vida!

Teu corpo vai ser a base pra tu ir além, vai ser capaz de fazer revolução. A bioenergética é uma ferramenta para tu entrar em contato contigo, te ajudar a seguir o teu caminho, no teu coração!

Por  Utara

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *